quarta-feira, 24 de abril de 2013

POIS, É: E O BAYERN DE MUNIQUE NÃO SÓ DERROTOU O BARCELONA...









Quando o Santos FC perdeu o Mundial de Clubes para o Barcelona, há dois anos, os santistas falaram em "aula de futebol". Dos mestres, claro, do Barcelona.

Agora, quem recebeu uma aula de futebol foi o próprio Barcelona, numa partida memorável do Bayern  de Munique. Os alemães não só anularam todas, absolutamente todas, as jogadas de Messi e companhia, como ainda enfiaram quatro gols na, então, desesperada defesa espanhola.

Comprova-se assim a velha teoria do futebol, assinalada no artigo anterior: não há equipe imbatível. E mais: em time que está ganhando, é, sim, muitas vezes, necessário mexer. Para continuar ganhando.

O esquema do Barcelona, por mais incrível que ainda continue sendo, tanto como modelo de bom futebol, quanto pela ainda excelência de seus jogadores, parece que começa a entrar em declínio, como se fosse aquilo que se chama em engenharia de desgaste de material.

Até agora, todos sabiam e ainda sabem como joga o Barcelona: posse de bola e troca rápida de passes, envolvendo a equipe adversária em seu campo. Agora, muitos já sabem como anular o Barcelona. E o Bayern mostrou isso à exaustão: deixou que a equipe catalã tocasse a bola, mas não a deixou aproximar-se de sua área. Com isso, anulou as infiltrações de Messi, a inteligência de Xavi e Iniesta, os lançamentos de Daniel Alves etc, etc, etc.

E mais: de posse da bola, não só contra-atacava com perigo, levando pânico aos defensores adversários, como também tocava a bola com inteligência e disposição. O futebol alemão, cujas características sempre foram a força e a disciplina tática, parece estar ganhando qualidade e criatividade.

Claro que essa evolução muito se deve à presença de muitos estrangeiros em suas equipes. Mas deverá refletir na própria Seleção Alemã que sempre começa uma Copa do Mundo como uma das favoritas e tem chegado muitas vezes à final e, agora, para a próxima Copa, virá com certeza como a mais séria candidata ao título.

E o Barcelona que coloque as barbas de molho: gênios também, às vezes, jogam mal, como Messi nessa partida, e renovação é uma palavra chave no futebol. Renovação não só de elenco, mas também de esquema e de padrão de jogo. 

Professores também precisam de uma boa reciclagem.



Serviço:

BAYERN 4X0 BARCELONA

Local: Munique, Alemanha; 23/4/2014

Competição: primeiro jogo da semifinal da Taça dos Campeões, da Europa.

BAYERN: Neuer, Lahm, Boateng, Dante e Alaba; Javi Martinez e Schweinsteiger; Robben, Thomas Müller (Pizaro) e Ribéry (Shaquiri); Mario Gomez (Luiz Gustavo)
Técnico: Jupp Heynckes

BARCELONA: Valdés, Daniel Alves, Bartra, Piqué e Jordi Alba; Busquets, Xavi e Iniesta; Pedro (Villa), Messi e Aléxis Sanchez.
Técnico: Tito Vilanova.

Gols: Thomas Müller (25 do primeiro tempo e 36 do segundo); Mario Gomez, aos 4 e Robben, aos 28 do segundo tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário